Iniciação à Prática Profissional em Contextos não Formais

Curso da Unidade Curricular: Licenciatura em Educação Básica
Grau
: Licenciatura

Ano: 3º Ano
Duração: Semestral
ECTS: 4
Tipo de unidade curricular: Obrigatória

Língua de lecionação: Português

Total de horas de Trabalho: 112 horas
Tempo de Contacto: 60 horas

Pré-requisitos e co-requisitos: Não aplicável
Precedências: Não
Estágio escolar: Sim

Conteúdos Programáticos

  1. Acesso a uma multiplicidade de contextos e a diversos projetos de desenvolvendo numa perspetiva crítica e sócio-organizacional
  2. Experimentação prática pela colocação em instituições e organismos cooperantes, permitindo uma caracterização no âmbito socioeducativo
  3. Desenvolvimento de competências cognitivas associadas a atividades não formais
  4. Concepção de materiais lúdicos e educativos, adequados a processos educativos não formais
  5. Dinâmicas de grupo que valorizem a auto estima e as relações humanas
  6. Seleção de programas, portais, materiais e media recomendados nos processos educativos, abrangendo vários conteúdos e áreas do conhecimento
  7. Planificação de estratégias de acção/reacção perante situações reais
  8. Desenvolvimento, em contexto, de estratégias lúdicas na prevenção de conflitos
  9. Estratégias educativas que associem actividades a literacia. Animação do Conto e do reconto.
  10. Promoção da leitura no contexto familiar
  11. Realização de atividades no âmbito do Jogo Dramático

Objetivos de Aprendizagem
(Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir)

Inserindo os estudantes em contextos profissionais, onde se desenvolvam competências na vertente educativa não formal, aliando a prática com conceitos de investigação-ação, pretende-se:

  • Demonstrar aptidões e valores de cooperação que facilitem a relação, repensando o papel do adulto num contexto educacional, fomentando atividades não formais.
  • Utilizar competências adequadas a projetos pedagógicos ou de intervenção organizacional.
  • Produzir atividades de lazer e culturais, no desenvolvimento global.
  • Implementar estratégias de dinamização da leitura e do conto.
  • Produzir atividades expressivas e dramáticas.
  • Utilizar as novas tecnologias com critérios de qualidade educativa.
  • Identificar métodos que contribuam para mudar atitudes, prevenindo e evitando a violência e os conflitos.
  • Avaliar os diferentes contextos sob uma óptica de auto-avaliação do desempenho e práticas educativas.

Metodologias de ensino e avaliação

Utilizar-se-ão metodologias de ensino pela investigação prática, tornando possível aprofundar os conteúdos da unidade curricular, com a aplicação em estágios em projetos educativos em contextos não formais.

Serão selecionados os estágios, com base em critérios de qualidade e práticas enraizadas e relevantes, privilegiando os parceiros cooperantes, a comunidade e as autarquias do meio envolvente da ESE Almeida Garrett, envolvendo-os em projectos culturais, educativos, tempos livres e de solidariedade social.

A organização do estágio será da responsabilidade dos professores da ESE Almeida Garrett, ficando a seu cargo a supervisão da intervenção educativa e o apoio do estágio.

No final do estágio, terá lugar a apresentação de um relatório perante a turma, na presença do professor da unidade curricular e do cooperante. São elementos de avaliação a presença, a assiduidade em estágio, a planificação e produção de materiais, a capacidade reflexiva demonstrada na elaboração do relatório e a sua apresentação.

Bibliografia principal

ALVES, José Matias (1993). Práticas Pedagógicas nas Organizações Escolares. Porto: Edições Asa

BARBIER, Jean-Marie (1993). Elaboração de Projectos de Acção e de Planificação, Porto: Porto editora

CASTRO, Lisete Barbosa e RICARDO, Mª Manuel Calvet (1994). Gerir o Trabalho de Projecto – um manual para professores e formadores. Lisboa: Texto Editora

CORTESÃO, Luísa, LEITE, Carlinda & PACHECO, José Augusto (2002). Trabalhar por Projectos em Educação: uma Inovação Interessante? Porto: Porto Editora

COSTA, Jorge Adelino (2007). Projectos em Educação: contributos de análise organizacional. Aveiro: Universidade de Aveiro

Christie, J. F. (1995). Literacy Enriched Play Settings. Arizona State University.

Neto, C. A. F. (1995). Motricidade e o Jogo na Infãncia. Editora Sprint.

Pessanha, Ana Maria (2001). Actividade Lúdica associada à Literacia. Instituto de Inovação Educacional, Ministério da Educação, Colecção Práticas Pedagógicas.

Contacte-nos

Envie-nos por favor a sua dúvida ou questão, através do seguinte formulário.

[mc4wp_checkbox]